BOMBA DE FRAGMENTAÇÃO: Uma hora foi a vez do caçador, agora é a vez da caça

Publicado por: Feed News
10/07/2023 07:26 PM
Exibições: 41
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela

Devastação das trincheiras russas com chuva de fogo em território ucrâniano é disto que estamos falando

 

As bombas de fragmentação, também conhecidas como bombas cluster, são poderosas armas projetadas  para se dispersarem em várias submunições (chamadas de submunições ou bombas) antes de atingirem o alvo principal. Essas submunições são projetadas para cobrir uma ampla área, causando danos a pessoas, veículos e infraestruturas em uma determinada região.

 

No teatro da guerra atual, muito utilizadas indiscriminadamente pela Federação Russa  desde o primeiro dia da Grande Guerra, em particular, bombardeando os bairros residenciais de Kharkiv matando muitos civis notadamente crianças ucranianas. As bombas de fragmentação representam uma preocupação em termos de seu impacto humanitário. Isso se deve ao fato de que, após a explosão inicial, muitas das submunições não detonadas podem permanecer no solo, representando um perigo para civis, incluindo crianças, ao longo e após o conflito. Essas bombas podem ser acionadas acidentalmente por pessoas comuns, como agricultores ou crianças que encontram o dispositivo e tentam manipulá-lo.

 

As submunições não detonadas podem funcionar como minas terrestres, causando lesões graves ou morte a qualquer pessoa que entre em contato com elas. Isso pode resultar em danos causados ​​às comunidades locais, afetando a segurança e a capacidade das pessoas de retornarem às suas casas, além de representar uma ameaça permanente mesmo após o fim do conflito.

 

Devido a essas preocupações, houve um esforço global para restringir o uso de bombas de fragmentação. O Tratado sobre Munições Cluster, adotado em 2008, visa proibir o uso, produção, transferência e estocagem dessas armas. No entanto, nem todos os países são signatários desse tratado e algumas nações ainda mantém em seus estoques e usam essas armas em conflitos. No cenário atual os projéteis de fragmentação são uma arma devastadora que ajudará a libertar os territórios ucranianos, salvando a vida dos soldados.

 

É importante ressaltar que o uso de bombas de fragmentação é objeto de debate e críticas por parte de organizações humanitárias, que destacam os riscos e os danos causados ​​à civis. A busca por alternativas menos prejudiciais e o esforço para remover as submunições não detonadas são importantes para minimizar o impacto humanitário dessas armas no teatro da guerra atual.

Editado por Mike N.

Conteúdista da The Mobile Televisiion Network

 

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados