Você gostaria de saber quando vai morrer?

Publicado por: Editor Feed News
22/02/2024 11:01 PM
Exibições: 71
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Como a inteligência artificial determina a probabilidade da morte?

 


O avanço contínuo no desenvolvimento ativo e na aplicação da inteligência artificial (IA) tem provocado uma profunda transformação em diversos setores, desde os negócios mediáticos até mesmo à esfera eleitoral, impactando significativamente a forma como lidamos com informações e processamos dados. Contudo, é na previsão de eventos cruciais, como a mortalidade humana, que observamos um progresso verdadeiramente revolucionário.

 

Nesse contexto, cientistas da Dinamarca e dos Estados Unidos apresentaram um notável avanço com o desenvolvimento do modelo de IA denominado life2vec. Este modelo, de acordo com os pesquisadores, demonstrou uma precisão surpreendente ao prever se indivíduos analisados viriam a falecer nos próximos 4 anos, atingindo uma taxa de acerto próxima a 80%. Essa eficácia superou outros métodos de previsão existentes, inclusive os cálculos atuariais tradicionalmente utilizados no setor de seguros, apresentando uma melhoria de 11%.

 

A capacidade do life2vec de antecipar eventos tão cruciais levanta questões éticas e práticas. Por um lado, a precisão do algoritmo pode ser um instrumento valioso em áreas como cuidados de saúde e planejamento familiar. Por outro lado, é crucial abordar as implicações éticas associadas ao uso de dados sensíveis e à tomada de decisões baseadas em previsões algorítmicas.

 

Além disso, a aplicação generalizada de modelos preditivos em áreas sensíveis como a previsão de morte levanta a necessidade premente de regulamentações robustas e éticas que protejam a privacidade dos indivíduos e evitem potenciais abusos. O avanço tecnológico deve ser acompanhado por uma abordagem responsável, garantindo que os benefícios sejam maximizados, sem comprometer a integridade e os direitos fundamentais das pessoas.

 

Em suma, o desenvolvimento de modelos como o life2vec destaca não apenas os avanços impressionantes na capacidade preditiva da IA, mas também a necessidade urgente de uma reflexão ética e regulamentação cuidadosa para orientar seu uso em áreas sensíveis, como a previsão da mortalidade humana.

 

Ronaldo S,

Conteudista da The Mobile Television Network

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags: