Hábitos de Compra na América Latina: Um Olhar Sobre os Canais Favoritos

Publicado por: Feed News
07/05/2024 02:34 PM
Exibições: 98
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Compreendendo os Hábitos Omnichannel dos Consumidores da Região

 

Em meio à instabilidade econômica da América Latina, 131 milhões de famílias tornaram-se especialistas em encontrar as melhores ofertas, navegando por diferentes lojas para otimizar seus orçamentos. Para compreender como e onde ocorrem as 25 bilhões de decisões de compra dos consumidores, a Kantar, líder em dados, insights e consultoria, lançou recentemente o relatório Omnichannel Latam 2024.

 

Segundo as descobertas, 21% dos compradores utilizam, em média, seis canais distintos. "Este grupo representa a maioria dos latino-americanos, indicando uma preferência geral por uma variedade, porém gerenciável, de lojas para atender às suas necessidades", afirma Marcela Botana, Diretora de Desenvolvimento de Mercado Latam da Kantar. Os canais mais frequentemente escolhidos incluem feiras, supermercados, atacadistas, farmácias, minimercados e lojas tradicionais.

 

Em termos de crescimento em valor entre 2022 e 2023, destacam-se os canais que oferecem melhor relação custo-benefício - uma resposta à inflação. Isso inclui mercados de bairro e lojas de conveniência (+28%), atacadistas (+24%) e lojas de descontos (+23%).

 

Apesar disso, as lojas tradicionais, juntamente com os supermercados, continuam a desempenhar um papel fundamental na rotina dos latino-americanos. Um comprador visita, em média, o canal tradicional 75 vezes por ano (ou seja, a cada cinco dias), enquanto os supermercados são frequentados aproximadamente 29 vezes por ano (duas vezes por mês).

 

O comércio eletrônico, que já alcança uma penetração de 30% na América Latina, também está experimentando um crescimento significativo, com quase 2 milhões de novos compradores em toda a região e um aumento de 20% no valor médio das transações. Durante o processo de compra, os latino-americanos preferem o e-commerce não puro (sites ou aplicativos de redes físicas) e o WhatsApp, ambos com uma penetração de 12%.

 

Cada escolha de ponto de venda tem um propósito específico. Hipermercados, supermercados e lojas de descontos são mais utilizados para reposição, enquanto os atacadistas são preferenciais para compras em grande quantidade. Minimercados e estabelecimentos do comércio tradicional atendem às necessidades diárias ou urgentes. No entanto, esses papéis dos canais estão em constante evolução, acompanhando as preferências dos consumidores.

 

O estudo também revela a categoria de produto mais associada a cada canal. Alimentos são predominantemente adquiridos em hipermercados, saúde e beleza em farmácias, e produtos de limpeza em lojas de descontos - uma informação valiosa para a indústria.

 

"Nos últimos dois anos, testemunhamos uma fase de consolidação multicanal no ecossistema varejista latino-americano. Os consumidores reduziram a exploração de novos canais, e as preferências dos meios de compra atingiram um ponto de estabilidade - uma tendência que deve persistir até 2024", conclui Lenita Vargas, Diretora de Shopper & Retail da Kantar.

Mais vídeos relacionados