Por Que Pedir Ajuda É Tão Difícil e Como Superar Esse Desafio

Publicado por: Feed News
23/05/2024 01:49 PM
Exibições: 66
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Pedindo Ajuda – Por Que Parece Tão Difícil e Como Superar Isso

 


O cansaço e a necessidade de apoio são comuns a todos, assim como a necessidade de ajuda em determinados momentos – seja um conselho amigável ou assistência na mudança. No entanto, às vezes, pedir ajuda pode ser extremamente difícil. Neste artigo, uma psicóloga discute por que é difícil pedir ajuda e oferece estratégias para superar essa dificuldade.

 

Por Que Pedir Ajuda É Difícil
Existem muitos motivos diferentes para a hesitação ao procurar ajuda. No entanto, de acordo com a especialista, eles geralmente têm uma raiz comum - as consequências de experiências negativas anteriores. Como resultado, formam-se as chamadas estratégias de enfrentamento, que podem ter ajudado a evitar experiências negativas na infância, mas apenas pioram o bem-estar na idade adulta.

 

Os motivos mais comuns incluem:

Medo de Julgamento: Tentativas de evitar situações em que possam ser julgados.
Autossuficiência Excessiva: A crença de que se deve lidar com tudo sozinho.
Sentimentos de Culpa: Medo de ser dependente ou de sobrecarregar os outros.
Os sentimentos de culpa podem surgir de estereótipos culturais de que os problemas pessoais inevitavelmente sobrecarregam ou incomodam outra pessoa. Embora a culpa possa orientar uma pessoa em direção a valores, ignorar as próprias necessidades pode esgotar o corpo e a mente, reduzindo as chances de recuperação.

 

Como Aprender a Pedir Ajuda
A profissional aconselha prestar atenção aos sentimentos que surgem quando se precisa de ajuda e analisar a sua intensidade. Além disso, vale considerar:

 

Pensamentos Associados: Identifique pensamentos como “ninguém vai ajudar de qualquer maneira” ou “se eu não fizer tudo sozinho, fico impotente”.


Relevância dos Sentimentos: Avalie se os sentimentos correspondem às circunstâncias da situação.


Ações Motivadas pelos Sentimentos: Verifique se tentar dar conta de tudo sozinho ou evitar conversas ajuda ou prejudica.
Resultados Reais das Ações: Determine se as ações baseadas nesses sentimentos têm resultados positivos no longo prazo.
Se os sentimentos e ações correspondem à situação e têm resultado positivo, vale a pena seguir essa motivação. Porém, se nem os sentimentos nem as ações têm um resultado positivo no longo prazo, é aconselhável tomar a atitude oposta.

 

A nova habilidade inclui os seguintes componentes:

Pensamentos Realistas e Úteis: Concentre-se no resultado positivo de procurar ajuda.
Ações Diferentes: Realize ações diferentes daquelas direcionadas por sentimentos negativos – medo ou culpa.
Resposta Física Diferente: Mude a postura, relaxe ou ajuste a tensão.


Como Pedir Ajuda Corretamente
É importante lembrar que nem familiares, nem amigos, nem parceiros podem ler mentes, por isso é necessário especificar os pedidos. Para comunicar a necessidade de ajuda – seja para preparar uma refeição, explicar uma tarefa ou passear com uma criança – é crucial ser claro e específico.

 

Às vezes, pode ser necessário expressar uma solicitação diversas vezes. Para uma solicitação mais eficaz, é importante respeitar os seguintes aspectos:

 

Especificar a Solicitação com Detalhes: Explique claramente as tarefas para as quais você está solicitando ajuda.


Usar Afirmações “Eu”: Fale sobre seus sentimentos usando "eu" (eu preciso..., eu sinto..., em vez de você deveria...), evitando acusações e julgamentos.


Oferecer uma Recompensa Mútua: Descreva o resultado positivo para ambos se o pedido for atendido.

 

Ao aprender a pedir ajuda de maneira eficaz, você não só melhora sua própria saúde mental e bem-estar, mas também fortalece suas relações interpessoais. Pedir ajuda é um sinal de força e autoconsciência, não de fraqueza.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags: